B L O G

Dicas, conteúdos, informações e materiais grátis sobre Gestão de Transportes, Frotas e Armazéns.

No cotidiano da transportadora nem sempre há uma rotina. Até nas emissões rotineiras de documentos eletrônicos como CT-e e MDF-e existem suas variantes.

Falando em Conhecimento de Transporte (CT-e), nem sempre há o frete simples. Algumas ocasiões pedem redespacho, subcontratação, entre outros.

Para realizar da melhor forma possível as operações na transportadora, é importante ter conhecimento de todos os termos utilizados no meio. Veja a seguir a nomenclatura utilizada e seus significados.

Emitente

É a empresa que administra o transporte, ou seja, a transportadora. É ela a responsável por emitir o CT-e. Sua condição de emitente é posta no documento no momento da emissão.

Remetente

De forma geral, o remetente é quem emite a nota fiscal da mercadoria a ser transportada; é a partir do remetente que se inicia a entrega da carga. Mas isso não significa que a mercadoria deva ser necessariamente coletada do remetente. No CT-e, todos os dados do remetente são obrigatórios.

Expedidor

Responsável por entregar a carga ao transportador para que ele realize o transporte. O cliente expedidor é reivindicado quando a mercadoria não foi coletada diretamente do remetente.

Recebedor

É quem recebe a mercadoria, porém não é necessariamente o destinatário.

Destinatário

É a pessoa física ou jurídica que recebe a mercadoria depois de todo o processo do transporte.

Tomador

É o responsável pelo pagamento do transporte. Pode ser ou não o destinatário.

CT-e de Redespacho

O redespacho ocorre quando o transporte de uma carga é feito por duas ou mais transportadoras, sendo que cada uma é responsável por uma parte do transporte.

No Redespacho, as Notas Fiscais das mercadorias devem ser as mesmas.Para isso, cada transporte precisa de um CT-e e um MDF-e, sendo que o Manifesto de Redespacho deve ter informações do MDF-e Normal.



Exemplo: A transportadora "A" pega uma carga para levar de Cuiabá-MT até Campo Grande-MS e a Transportadora "B" pega a mesma carga e leva de Campo Grande-MS até Paranaguá-PR.

CT-e de Subcontratação

A subcontratação de serviço de transporte se dá quando a transportadora contratada opta por não prestar o serviço de transporte e contrata outra para realizá-lo. Dessa forma, a transportadora que realizará a entrega que deve emitir o CT-e de subcontratação (por isso a chamamos de transportadora subcontratada). Ressaltamos que deve ser consultada a legislação em vigor do estado, pois pode haver alterações.

Transbordo

O transbordo é a troca de mercadoria entre caminhões de uma mesma transportadora. Nestes casos, emite-se outro MDF-e mas mantém-se o mesmo CT-e.

Leia mais sobre o documento fiscal:

Emiti um CT-e errado e já passou o prazo de cancelamento, como proceder?

Ocorrência de cargas - como fazer um controle eficiente e vantajoso para você e seu cliente

CT-e: entenda tudo sobre o documento eletrônico

Ficou com alguma dúvida? Não deixe de entrar em contato conosco! Através do e-mail marketing@softcenter.com.br ou por telefone (43) 3321-4655.

Acompanhe nossas redes sociais! Acesse o nosso FacebookInstagramYouTube e LinkedIn!


ebook composicao-de-valores-de-frete

[e-book gratuito] Transporte de Produtos Perigosos